Tudo o que você precisa saber sobre os efeitos dos 3 pilares da fotografia

Last modified date

Comments: 0

No mundo da fotografia, essas são uma das tarefas mais essenciais para que você tenha um destaque nesta área e aproveite todas as oportunidades que é proporcionada. 

Abertura do diafragma, a velocidade do obturador e o ISO, são considerados os 3 pilares da fotografia. Saber tudo sobre estes 3 elementos, é um dos primeiros passos para que você se torne um profissional da fotografia e por fim deixe que sua criatividade aflore, pois é através deles que você consegue proporcionar efeitos variados em suas fotos. 

Primeiramente é importante salientar que nem todas as câmeras tem a função de manipular os pilares da fotografia, pelo fato de não possuírem o modo manual. Sendo assim, sugiro que leia o manual de instruções da sua câmera e veja as configurações que são permitidas. 

Mas você conhece a fundo quais os efeitos que os três pilares da fotografia podem causar e auxiliar na sua criatividade? 

DIAFRAGMA – QUANTIDADE DE LUZ E SUA PROFUNDIDADE

O diafragma é um dispositivo que fica presente no interior de sua lente. Quando você abre e fecha pode controlar a quantidade de luz que entrará na sua câmera. Cada objetiva possuem características diferentes de abertura máxima ou mínima. 

Esta do diafragma é representada pela letra “f-” e na sequência um número. Neste caso, quanto menor for o número que você visualiza, maior é abertura. 

Além disso, a abertura do diafragma, afeta também a profundidade do campo da imagem que você está registrando. Portanto, quanto maior for a abertura do diafragma, menor será a profundidade. Caso tenha ideias para criar alguns efeitos na foto, isso torna-se bastante útil. 

OBTURADOR – O TEMPO DE EXPOSIÇÃO 

Obturador é encontrado no interior de sua câmera e assim como explicamos sobre o diafragma, ela também tem a função de controlar a quantidade de luz que entrará. Para tentar exemplificar e comparar com o nosso corpo, ela seria equivalente a nossa pálpebra e o diafragma nossa pupila. 

Por mais que a função seja a mesma que o do diafragma, a funcionalidade das duas são diferentes. O obturador permanece sempre fechado e só é aberto na hora que você faz o clique, assim ele é acionado e permanece aberto pelo tempo necessário para expor o sensor. Você pode configurar manualmente esse tempo, deixando assim, o sensor mais exposto ou menos exposto à luz.

Este tempo de abertura é medido através de frações de segundos. Mas você tem a liberdade de configurar para que ele fique aberto por vários segundos em fotografias de longa exposição. 

As duas situações que você pode se deparar enquanto está fazendo o seu trabalho é muita luz ou algum ambiente mais escuro, ensaios noturnos por exemplo. Neste caso, se o cenário for muito escuro, você pode configurar o obturador para ficar mais tempo aberto. Agora, se for um lugar onde há muita luz, deixe configurado para menos tempo aberto. 

Quando você configura o tempo de exposição, cria-se efeitos bastante interessantes na fotografia, podendo assim explorar muito a sua criatividade. Enquanto o obturador estiver aberto ele capta tudo que está na cena, inclusive os movimentos. Desta forma, é preciso que você entenda duas coisas: Caso você queira proporcionar um efeito de congelamento, precisa que o obturador esteja em uma velocidade rápida. Já o oposto, para uma cena de movimento, você precisa usar a velocidade mais lenta. 

ISO – SENSIBILIDADE DA CÂMERA

E, para completar o ciclo dos três pilares da fotografia, é a vez de aprofundar sobre o ISO. Talvez, dentre os três, seja o mais famoso. Mas nada mais é do que a sensibilidade da câmera. Em tempos passados, quando ainda não existia a câmera digital, era comum o filme da sua câmera ser de acordo com o local que você iria fotografar. Então por exemplo, o asa100 (ISO100) que era o mais comum, servia para ambientes externos. Já o asa400 (ISO400) era usado para os ambientes mais externos. Como tudo mudou, hoje basta regular o ISO pela sua própria câmera. Muitas dispõem de ISOS menores que 100 e até maiores que 6000.

A maneira de usar o ISO em teoria é bem simples. Como ele tem o papel de regular a sensibilidade do sensor, quanto menos luz na cena neste caso, maior deverá ser o ISO. Simples, certo? Contudo, você deve tomar cuidado quando decidir regular. Na prática, quanto mais você aumenta o ISO da câmera, juntamente está sendo aumentado o nível de ruídos da sua foto e, por consequência, diminui a qualidade da imagem. Deste modo, é recomendado que trabelhe com o ISO baixo, próximos do 100, para conseguir obter imagens mais bonitas e limpas. 

Bom, agora entendendo os 3 pilares da fotografia, você já consegue ser um ótimo profissional? De certo modo, não. Saber do que se trata esses 3 elementos é fundamental, claro, mas não é o divisor de águas. Você precisa além de se aprofundar mais ainda no assunto, precisa praticar. Pode reparar que muitas situações que foram citadas, são momentos que você vai estar realmente no campo do ensaio. Sendo assim, pegue seu equipamento e treine bastante, aplique todos os pilares citados e adapte-se em todos possíveis cenários.

fstop

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Post comment